sexta-feira, 16 de abril de 2010

Estações da vida

Era de manhã
Pétalas caiam sobre mim
Tantas oferecidas
Diversas deliciosamente aceitas
E outras rejeitadas
Sem receios, sem mágoas

Mas a tarde veio
A primavera foi aos poucos
O outono murchou as pétalas
que outrora me deixavam louco
Vida pouca para se achar
Porque o inverno nos espreita
Ele congelará as flores
E a vida?! Ah....!!
Só na próxima colheita.

Um comentário:

O Parasita disse...

Lindo esse poema!
Inclusive eu já estou redigindo um texto sobre as estações da vida também. Eu ando lendo bastante sobre criacionismo e etc, e eu acho bacana fazer esse paralelo entre a vida e a natureza.

Parabéns pelo post.